Vitamina D

Banhos de sol fazem bem para você

Dr. Malcom Kendrick (original aqui)

Interrompemos a série de blogs sobre ‘O Que Causa Doença Cardíaca’ para trazer notícias de última hora (um pouco atrasadas) da Suécia… Banhos de sol fazem bem para você. Que horror!, Chocante! etc.

Alguém me mandou essa notícia hoje, e achei que deveria compartilhá-la com você.

Por muitos e muitos anos tenho dito às pessoas que deitar ao sol e ficar bronzeado é uma das coisas mais saudáveis que se pode fazer, apesar dos uivos de angústia dos dermatologistas nos dizendo que um fóton de luz solar pode ser fatal. ‘Você fará com que as pessoas morram de câncer de pele’. Ah, tá.

Por que pessoas que tomam banho de sol vivem mais do que aquelas que evitam o sol?

Uma nova pesquisa investiga o paradoxo em que mulheres que tomam banhos de sol têm maior probabilidade de viver mais do que aquelas que evitam o sol, mesmo tendo risco aumentado de desenvolver câncer de pele.

A análise dos dados sobre 29.518 mulheres suecas que foram acompanhadas por 20 anos revelou que a maior expectativa de vida entre mulheres com hábitos de exposição ao sol estava relacionada com a diminuição da doença cardíaca e a mortes não relacionadas a câncer e doença cardíaca, estatisticamente aumentando a contribuição relativa de morte devido a câncer.

Não foi possível determinar se o efeito positivo da exposição ao sol demonstrado nesse estudo observacional é mediado pela vitamina D, por outro mecanismo relacionado à radiação UV ou por tendenciamento não mensurável. Portanto, mais investigações são necessárias.

“Descobrimos que os fumantes no grupo de maior exposição ao sol tinham um risco semelhante ao dos não-fumantes que evitam a exposição solar, indicando que evitar a exposição ao sol é um fator de risco da mesma magnitude que fumar,” disse Dr. Pelle Lindqvist, principal autor do estudo no Journal of Internal Medicine. “Orientações demasiado restritivas quanto à exposição ao sol podem fazer mais mal do que bem para a saúde.” 1

Há um ponto aqui que acho que eu deveria repetir… evitar o sol é tão arriscado para a saúde geral e expectativa de vida quanto fumar. O que é mais incrível? Estima-se que fumar reduza a expectativa de vida, em média, em seis anos. Assim, se você tomar sol regularmente, parece que você pode viver seis anos a mais.

Vou citar meu próprio livro “Doctoring Data” (Falsificando Dados) exatamente sobre este tema:

Que tal assustar as pessoas para ficarem longe do sol, ou besuntarem-se com protetor fator 50 na primeira suspeita de que um fóton mortal possa atravessar 10 camadas de roupas de proteção. Não é necessariamente uma boa ideia, porque sem a síntese de vitamina D na pele a partir da exposição ao sol, há um significativo perigo de nos tornarmos deficientes em vitamina D, o que pode levar a uma série de outros problemas.

Aqui estão apenas dois fatos que se destacam em um grande estudo publicado no Annals of Epidemiology intitulado ‘ Vitamin D for cancer prevention’ (Vitamina D para prevenção de câncer).

  • Mulheres com maior exposição ao UVB solar tiveram apenas metade da incidência de câncer de mama em comparação àquelas com baixa exposição solar.
  • Homens com maior exposição solar residencial tiveram apenas metade da taxa de incidência de câncer de próstata fatal.

Simplificando:

Se você passa mais tempo no sol, sua probabilidade de morrer de câncer de mama e de próstata é muito menor. ‘Mas e o aumento do risco de morrer de câncer de pele!’, você vai gritar. Bem, e daí. Cerca de 2.000 pessoas morrem ao ano de melanoma no Reino Unido a cada ano. Se maior exposição ao sol fosse dobrar esse número, teríamos 2.000 casos a mais.

Por outro lado, o câncer de mama mata cerca de 20.000 por ano, assim como o câncer de próstata. Se conseguirmos reduzir pela metade a taxa de câncer de mama e de próstata, reduziríamos as mortes por câncer em 20.000 ao ano. O que é dez vezes maior do que qualquer aumento potencial de mortes por melanoma.”

Ao que escrevi em ‘Doctoring Data’, gostaria de acrescentar que a exposição ao sol é a forma mais conhecida de aumentar a síntese de óxido nítrico (NO) no corpo. Isso protege o endotélio e, como seria de se esperar, reduz a pressão arterial (de maneira natural). Então, morte por doença cardiovascular é muito menos provável.

O que esse estudo destaca, mais uma vez (bem como todos os conselhos sobre dieta), é que o que somos aconselhados a fazer pela prática médica dominante acaba por ser prejudicial à saúde. Será que os conselhos sobre exposição ao sol vão mudar agora? Não há a mais ínfima possibilidade disso acontecer. Evidências não têm impacto sobre os pronunciamentos da profissão médica (pelo menos não na escala de uma geração).

A única mudança possível que posso vislumbrar é a de que, enquanto continuaremos a ser admoestados a ficar longe do sol a todo custo, seremos aconselhados a suplementar vitamina D para compensar a falta de exposição ao sol (mesmo que haja pouca ou nenhuma evidência de que o suplemento realmente faça diferença).

Meu conselho é, e sempre foi, de que o sol faz bem a você. Eu tenho dito isso há vinte anos. Há dez anos, enquanto escrevia para a “Pulse Magazine” do Reino Unido, escrevi um artigo chamado ‘A luz do sol faz bem para você’. Ele termina assim:

Reflita

Incito-o a refletir sobre os resultados de um estudo analisando pessoas diagnosticadas com melanoma e acompanhadas por cinco anos.

‘Resultados: queimaduras, alta exposição ao sol intermitente, histórico de sensibilização da pele e elastose solar foram estatisticamente significativamente inversamente associadas com morte por melanoma’.

Conclusão: A exposição ao sol está associada a maior sobrevivência ao melanoma.’ 2

Eu já disse que o sol é bom para você? Ele até previne contra melanoma.

REFERÊNCIAS:

1. http://www.medicalnewstoday.com/releases/308202.php

O estudo completo publicado online em 16 de março, 2016:

P. G. Lindqvist, E. Epstein, K. Nielsen, M. Landin-Olsson, C. Ingvar and H. Olsson, Avoidance of sun exposure as a risk factor for major causes of death: a competing risk analysis of the Melanoma in Southern Sweden cohort,  Journal of Internal Medicine, doi: 10.1111/joim.12496 .

2. Berwick M et al: Sun exposure and mortality from melanoma. J Natl Cancer Inst: 2005 Feb 2, 973(3):195-9.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail