Melatonina e café da manhã

Melatonina sensibiliza o organismo

Por Bill Lagakos, Ph.D. em Bioquímica Nutricional e Fisiologia

Original aqui

Tenham paciência comigo… isto pode ser muito importante (ou apenas tudo minha imaginação haha)

Fato: a secreção de melatonina acontece durante a noite (ou pelo menos é quando se supõe que aconteça):

Melatonina1 copy

É importante adotar comportamentos circadianos saudáveis desde cedo para impedir ou minimizar o declínio na secreção de melatonina que ocorre com a idade:

melatonina2 copy

Parte 2:

A sinalização melatoninérgica é intrinsecamente inibitória em muitos tipos de células:

Melatonina3 copy

Ela desliga determinados processos, e por isso muitos tipos de células proliferam à noite (leia também: Luz solar e ritmos circadianos na pele). As células da pele não deveriam estar se proliferando enquanto estão simultaneamente tentando se proteger dos raios UV durante o dia. Algo semelhante acontece em células do músculo esquelético, células beta e muitos outras (nota: nestes estudos, o pré-tratamento com melatonina na cultura de células pode ser interpretado como análogo à exposição à melatonina durante a noite em seres humanos, então o impacto benéfico é manifesto pela manhã mais intensamente).

Como esses programas não estão sendo usados (ou sendo ativamente inibidos pela melatonina), diz-se que eles estão se tornando sensibilizados.

Quando você acorda de manhã, alguns destes programas, como enzimas antioxidantes endógenas e aqueles envolvidos em processamento adequado de proteína, atenuando o estresse do retículo endoplasmático, etc, são iniciados e ficam prontos para processar um grande influxo de nutrientes (por exemplo, café da manhã).

Sabemos que pular o café da manhã e jantar tarde é no bueno em longo prazo… Talvez seja por isso que um relógio circadiano funcionando corretamente seja necessário para isso – sem ele, o estresse oxidativo sai do controle e envelhecemos mais rápido (estudos em roedores, mas mesmo assim).

Ao longo do dia, os mecanismos de defesa tornam-se progressivamente dessensibilizados e menos capazes de controlar eficazmente disruptores metabólicos [celulares] como uma grande refeição.

Pode haver uma razão para as coisas acontecem desta maneira. Exposição à luz matinal intensa minimiza a supressão de melatonina induzida por luz (artificial) à noite (por exemplo, Kozaki et al., 2015). Evitando luz artificial à noite ou simplesmente usando bloqueadores do espectro azul reforça a secreção de melatonina, melhorando a sensibilização, tornando-nos mais capazes de distribuir otimamente os nutrientes quando o sistema está totalmente sensível -> pela manhã.

SIM, EU ESTOU DIZENDO PARA VOLTAR A COMER NO CAFÉ DA MANHÃ NOVAMENTE

Mito? Talvez… mas para mim parece pertinente

COMENTÁRIOS

  • Informação muito interessante… A melatonina tem uma interação complicada com a sinalização da insulina. Talvez melhore a resistência aumentada à insulina relacionada com a idade, http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25780235 , talvez aumente o açúcar no sangue (o que parece contraditório), mas eu gosto desses pontos que você levanta. E para aqueles acima de 60 anos e, evidentemente, com declínio na melatonina, provavelmente devem suplementar com melatonina, na minha opinião!
  • “A melatonina tem uma interação complicada com a sinalização da insulina”. Concordo!http://caloriesproper.com/melatonin-is-the-chemical-expression-of-darkness/
  • “É importante adotar comportamentos circadianos saudáveis desde cedo para impedir ou minimizar o declínio na secreção de melatonina que ocorre com a idade”: há alguma evidência de que o comportamento modifica o declínio relacionado com a idade? O que acontece em outras espécies, por exemplo?
  • Estudos sobre exposição à luz matinal e minimização da luz artificial à noite mostram efeitos positivos em ambas as populações de jovens e idosos… Nenhum grande estudo longitudinal [de intervenção] foi feito que eu saiba, mas ainda tenho fortes suspeitas de que funcione. Quanto a outras espécies, com exceção daquelas expostas à poluição luminosa crônica, vivem em perfeitas condições circadianas ambientais… provavelmente por isso não há grande arritmia circadiana relacionada com a idade.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail